Gravidez

Os 15 itens mais usados do enxoval do bebê: economize com itens realmente úteis

Na foto vemos um bercinho de bebê de vime  e uma roupinha azul pendurada.
O que comprar para o enxoval do bebê é uma dúvida comum para os pais de primeira viagem. (Imagem: Unsplash)

Muita calma nessa hora!

Você mal se descobriu grávida e as vitrines das lojas infantis parecem mais atraentes e maravilhosas do que nunca, né! É tanto item fofinho, tanta roupinha maravilhosa e tanto sapatinho que dá vontade de levar tudo. Mas, calma!

Primeiro, tenha em mente que o mais importante de tudo é que as necessidades básicas do bebê sejam atendidas quando ele nascer: alimentação (por meio do leite materno), roupas (de acordo com o clima), itens de higiene pessoal e amor.

Mas é claro que além das necessidades mais importantes, todos os pais querem montar o enxoval (que, por sinal, é uma delícia!). Para te ajudar a não sair por aí gastando todo seu dinheiro à toa, vamos aos 15 itens mais uteis para os primeiros meses.

1- Roupinhas

As roupinhas do bebê são itens fundamentais para o enxoval, mas cuidado com a estação que a criança vai nascer!

Quando falamos de roupinhas de bebê, temos: bodies (que são as blusinhas com manga curta ou longa que tem botões embaixo), culotes ou mijões (que são as calças com ou sem pezinhos), macacões, meias, luvinhas e toucas.

A primeira coisa que você tem que pensar antes de sair comprando as roupinhas para o seu filho é em que estação ele ou ela vai nascer. Se a criança nascer no verão, não adianta comprar macacões e roupinhas de lã. E, claro, se ela vai nascer no inverno, bodies curtos e macacões muito finos farão o bebê passar frio.

As listas das maternidades geralmente solicitam 6 bodies, 6 mijões e 6 macacões. Embora possa parecer muito, acredite: não é! Os bebês recém-nascidos evacuam várias vezes ao dia e muitas vezes ocorrem os famosos escapes nas roupinhas. Não se surpreenda se você tiver que trocar de roupa a cada troca de fralda! Esses dois itens (body e mijão) foram os mais usados aqui em casa, junto com as meias. As luvinhas (que eu preferi de algodão) eu usei apenas nos primeiros dias, para o bebê não arranhar o próprio rosto. Depois de um tempo já não foram mais necessárias.

Dica de ouro: eu sei que as roupinhas frufruzentas são lindas, mas elas não são nem um pouco confortáveis para a criança. Prefira as mais básicas, sem muitos adereços como laços, capuz, gola, desenhos ásperos, botões, etc. Dê preferência, também, para as mais fáceis de por e tirar, sem botões difíceis de abotoar (abotoar 10 botões com uma criança chorando é desesperador!). Pijamas de zíper são ótimos porque são fáceis de por e tirar, principalmente quando você precisa trocar a fralda e o bebê está dormindo.

2- Paninhos de boca e fraldas de pano

Os paninhos de boca são mil e uma utilidades: você pode limpar a boca do bebê depois que ele mama, o rostinho ao acordar e, por serem pequenos, dá para levar na bolsa para onde vocês forem.

Já as fraldas de pano de tamanho tradicional, chamadas de fraldas de ombro, são usadas no ombro para proteger a roupa da mãe se o bebê regurgitar. Elas também são ótimas para as mulheres mais tímidas (meu caso!) cobrirem o seio ao amamentar em público. Outras funções para essas fraldas são: cobrir o bebê para não pegar sereno (coisa de vó né, mas melhor prevenir!), jogar por cima do carrinho para cobrir a claridade (certifique-se que terá ventilação lá dentro, ok?) ou ainda para usar como cortina na janela do carro em dias de sol (brega, mas útil!).

Existem, ainda, as fraldas de tamanho grande que são ótimas para enxugar o bebê depois do banho. Também dá para forrar a toalha de banho com elas, pois elas são super macias para a pele delicada dos pequenos.

As toalhinhas de boca são um item indispensável no enxoval do bebê. (Imagem: Bebê Panda Enxoval)

Dica de ouro: eu comprei vários panos atoalhados da marca Aden & Anais que serviam tanto para cobrir meu seio enquanto eu a amamentava quanto para cobri-la em dias mais frescos. Se você for ou conhecer alguém que vai para o exterior, peça algumas peças (apesar que dá para achar pelo AliExpress). Elas são ótimas e são bem baratinhas.

3- Roupas de cama e banho

Outro item indispensável do enxoval do bebê são os lençóis para o berço e as toalhas de banho. Eu comprei cerca de três jogos de lençóis para o berço, preferindo os de algodão ao invés daqueles de material sintético. Mais uma vez, sugiro que você opte pelos modelos mais simples, sem muitos babados que precisarão ser engomados depois de lavados e podem deixar marcas na pele do bebê.

Como a minha filha dormiu no moisés do carrinho ao meu lado até os 3 meses, eu também providenciei uns 3 lençóis para o carrinho.

Em relação às toalhas de banho, prefira aquelas maiores que a criança poderá usar por um bom tempo. Toalhas com capuz também são super indicadas, uma vez que ajuda a secar o cabelo e a proteger a cabeça do bebê do frio. Caso você ache a toalha áspera para o recém-nascido, forre com uma fralda atoalhada (olhe ali no item 2).

Toalhas com capuz ajudam a proteger a cabecinha do bebê do frio. (Imagem: Grão de Gente)

Nesse item também vou incluir mantas e cobertores. Opte sempre por produtos confeccionados com materiais antialérgicos e, mais uma vez, observe a estação do ano que o bebê irá nascer.

Dica de ouro: O protetor de berço é um item super controverso. Alguns especialistas alertam para o perigo de asfixia do bebê, afirmando que deve ser deixado dentro do berço o mínimo de coisas possíveis. Aqui em casa nós optamos por não usar (mesmo sendo lindo!). Ao invés dos protetores, nós utilizamos apenas uma tela protetora de grade respirável, que você pode achar aqui.

4- Carrinho de bebê e bebê conforto

Embora seu bebê consiga viver muito bem sem um carrinho nos primeiros meses, ele é muito útil por diversos motivos. Além da função óbvia, alguns carrinhos podem ser usados para a criança dormir nos primeiros meses. Isso aconteceu aqui em casa. Nos três primeiros meses ele só foi usado para a minha filha dormir a noite, do meu lado da cama. Depois de uns 4 ou 5 meses (que os passeios começaram a ficar mais constantes) que o carrinho foi útil para transportá-la de fato.

Escolher um carrinho de bebê não é tão simples assim, pois costuma ser um dos itens mais caros do enxoval. Minha dica de ouro é: pesquise! Pesquise muiiiiitooo! Vá até as lojas e ande com o carrinho, gire-o, abra-o e feche-o. Tem carrinhos que são super pesados, outros dão uma trabalheira para fechar, outros ainda não parecem tão estáveis. Alguns possuem acessórios extras que só vão fazer você gastar dinheiro. Cuidado, também, com as cores. Carrinhos claros sujam mais, enquanto que carrinhos rosa ou azuis podem não servir para um segundo filho.

Quanto à cadeirinha do carro (bebê conforto) é bom pesquisar sobre a segurança (lembrando que ela deve ter, obrigatoriamente, o selo do Inmetro). Algumas marcas, no entanto, já vem com a base isofix, que é mais segura que as bases tradicionais (observe o modelo e se o seu carro possui essa opção). Algumas marcas também “oferecem” um combo de carrinho + bebê conforto que pode valer a pena financeiramente. Aqui nós usamos um modelo de carrinho e cadeirinha da Chicco nos primeiros 18 meses da minha filha. Como esse é um assunto bastante complexo, teremos um post exclusivo sobre carrinhos. Fique de olho!

A variação dos preços de carrinhos para bebê é enorme. Por isso, pesquise muito antes de comprar! (Imagem: Chicco)

Dica de ouro: Lembre-se que seu filho usará o carrinho por um tempo relativamente curto. Com dois anos de idade, por exemplo, um carrinho guarda-chuva pode dar conta do recado e é bem mais barato que os carrinhos para bebês mais novos (isso se com 2 anos seu filho ainda aceitar usar carrinho!). Por isso, leve em conta o período de uso quando for comprar um carrinho, pois a variação de preços é assustadora.

5- Almofada de amamentação

Acho que a almofada de amamentação foi um dos itens que eu mais usei durante os primeiros seis meses da minha filha.

Como toda mãe de primeira viagem vai perceber, amamentar pode dar uma dor nas costas, ombro e pescoço danada. Se você se sentar sem apoio então nem se fale. Nesse sentido, a almofada é excelente para segurar o bebê de maneira confortável e até mesmo segura.

Além da amamentação, a almofada foi muito útil como apoio para estimular os músculos da Sofia quando ela começou a querer ficar sentada. Também me ajudou a manter meus braços descansados nos dias em que ela só queria ficar no colinho da mamãe.

Se eu tivesse que escolher alguns itens para ficar com minha filha em uma ilha deserta, a almofada certamente seria minha escolhida! hahaha (Imagem: Grão de Gente)

6- Babá eletrônica (ou câmera)

Esse item eu uso até hoje, depois de 2 anos que minha filha nasceu. A babá eletrônica (aqui usamos uma câmera mesmo, daquelas que compramos para monitorar ambientes) é um acalento para o coração dos pais quando a criança está dormindo. Isso porque você não precisa levantar e ir até o quarto da criança para verificar cada suspiro mais alto ou se ela não está com algum problema. Tá certo, eu confesso que eu até chegava a dar um zoom as vezes para checar a respiração (quem nunca?!).

A câmera que nós compramos pode ser acessada pelos nossos smartphones e foi bem mais barata que as babás eletrônicas que encontramos no mercado. Ela também permitia que eu ouvisse sons e enxergasse no escuro (meio óbvio, mas vai que existem câmeras que só funcionam no claro hehe). Apenas tenha o cuidado com a segurança da sua rede para não permitir acesso externo (dá um Google para achar como configurar isso).

Quem inventou a babá eletrônica merecia um prêmio!

7- Pomadas anti-assaduras

As pomadas anti-assaduras são um escudo poderoso contra machucados no bumbum dos nossos pequenos. Quando eu engravidei, eu tinha uma noção que elas eram úteis, mas não fazia a menor noção de qual era boa e por quê. Na verdade eu só conhecia Hipoglós e olha lá.

Ao pesquisar sobre pomadas antes da Sofia nascer, eu fui percebendo que havia uma infinidade de opções e vou contar aqui o que funcionou para nós. Minha dica é: invista em uma pomada de boa qualidade, mesmo que o preço não seja tão camarada assim. Por quê?

Algumas pomadas de assadura são muito melecadas e essa meleca gruda no bumbum do bebê, o que faz com que tenha muito mais atrito da pele com o algodão ou lenço umedecido quando você for tirar. Esse atrito, por sua vez, pode gerar mais assaduras. Ou seja, a própria pomada torna-se uma vilã.

Dica de ouro: Aqui nós usamos desde sempre a Bepantol Baby (caraaa, para a nossa tristeza, mas super econômica e eficiente, para nosso alívio). Ela não meleca nossos dedos, não meleca o bumbum, sai com MUITA facilidade e protege que é uma beleza!

Eu adoraria que fosse, mas não é publi. É que a bichinha é boa demais!

8- Banheira COM SUPORTE

As lojas de artigos para bebês possuem diversos modelos de banheiras, desde as mais simples até as que possuem trocador acoplado e porta shampoo. No entanto, o que mais ajudou aqui no fim das contas foi o suporte. Ninguém aguenta ficar agachado no box para dar banho em criança, além de não ser nada seguro enquanto eles são pequenininhos.

Dica de ouro: Não esqueça de medir o espaço do seu box, considerando as manobras que você vai ter que fazer com a banheira. Com as medidas em mão é mais fácil acertar no modelo.

O suporte ajuda muito os pais na hora do banho do bebê!

9- Termômetro digital

Parece uma frescura, né? Mas quando as crianças ficam febris elas costumam ficar irritadiças por conta dos sintomas. Ter um termômetro do tipo digital e infravermelho (daqueles que é só apontar para a testa) ajuda demais nessas horas.

Aqui nós compramos esse da foto e utilizamos ele até hoje, tanto para medir a temperatura da família quanto para medir superfícies, como água, etc. Até meu cachorrinho usufrui deste produto!

Os termômetros digitais são bem mais rápidos, não quebram com facilidade, não incomodam os bebês e são mais precisos.

10- Fraldas descartáveis (ou ecológicas)

As vezes fico pensando como nossas mães e avós sobreviveram sem as fraldas descartáveis. A facilidade é tanta que nem consigo colocar em palavras. Uma dica de ouro é: não compre muitos pacotes de uma vez. Algumas marcas, por melhores que sejam, podem dar alergia ao bebê. Por isso, é interessante fazer um teste primeiro. Ah, e outra coisa: pode parecer estranho, mas as fraldas descartáveis possuem validade. Então não adianta estocá-las durante muito tempo.

Pensando no meio ambiente, alguns pais fazem uso das fraldas ecológicas para seus bebês, o que é uma proposta bastante consciente. Aqui não deu muito certo, pois eu não tinha tempo disponível para lavá-las. Mas o produto é interessantíssimo, vale a pena pesquisar, principalmente para crianças acima de 6 meses.

Fralda é um item quase que obrigatório quando o bebê nasce.

11- Sabonete neutro

Aposte nos sabonetes mais neutros quando o bebê nascer, sem muito perfume e daqueles que não fazem um mundo de espuma. No mercado é possível encontrar shampoos e sabonetes próprios para recém nascidos. Uma opção interessante são os sabonetes da cabeça aos pés, o que torna o banho mais rápido e mais seguro quando você está sozinho com o bebê.

Existem sabonetes com os mais variados preços e tipos. Pesquise e escolha um que seja para a idade do seu bebê e que caiba no seu orçamento.

12- Tesourinha de unha

Eu nunca poderia supor que as unhas dos bebês crescem tanto antes de ser mãe. É uma coisa alucinante: você corta hoje e amanhã já tem um pontinha aqui e outra ali. Por isso, considero uma tesourinha sem ponta e própria para cortar unha de bebês um item essencial do enxoval.

Eu levo a tesourinha em viagens até hoje!

13- Algodão, hastes flexíveis e gaze

Se tem uma coisa que você pode por na lista do chá de bebê é algodão e hastes flexíveis (o famoso cotonete). O algodão serve para muitas coisas, desde para limpar o bumbum do bebê quando ele é pequenininho (eu evitava lenços umedecidos no início, usava apenas para sair) até para fazer a limpeza dos olhinhos da criança. Os cotonetes também tem várias funções, desde limpar a orelhinha até passar álcool no umbigo.

A gaze nós usávamos para fazer a limpeza bucal da nossa filha.

14- Pente de cabelo

Minha filha nasceu super cabeluda, o que me chamou a atenção logo que eu a vi. Embora o cabelo fosse bem fininho, a quantidade era grande. Então a escovinha e o pente de cabelo foram importantes e essenciais para nós. Coloquei aqui porque foi um dos últimos itens que eu comprei para ela antes dela nascer (eu quase esqueci!). Portanto, já coloque na sua lista!

15- Bolsa “maternidade”

Coloquei maternidade entre aspas porque hoje eu vejo que é até meio bobo esse termo. Minha dica quanto à bolsa é: procure uma bolsa ou mochila que tenha várias repartições e que tenha, de preferência, uma parte que seja térmica.

Existem kits com malas para a mãe, mala para o bebê e a bolsa do bebê em si. Além de serem caríssimos, esses kits são pouco usados posteriormente. Uma bolsa comprada em lojas de bolsas e malas já dá conta do recado.

Eu não queria uma bolsa bordada, com o nome da minha filha (uma opção minha tá gente). Eu queria algo que não remetesse apenas à maternidade e que eu pudesse usar depois se eu quisesse. Achei que essa opção foi ótima para nós e funcionou super bem por aqui. Além de eu ter economizado, claro!

Mas se você sonha com aquelas bolsinhas azuis ou rosas com o nome do seu bebê, seja feliz!!!

Itens para comprar depois

Aqui eu listei os 15 itens que foram uteis para a minha família. A lista de cada um varia bastante, principalmente se você optar por itens opcionais, como termômetro para banheira, kit de higiene, aspirador nasal, trocador, etc. Não falei sobre o mobiliário, porque é muito pessoal. Alguns pais compram berço, enquanto outros preferem as caminhas no chão, ao estilo Montessori. Cômodas, guarda-roupas, cadeira de amamentação, etc. também são itens que as famílias devem considerar se precisam ou não adquirir, assim como itens de decoração do quarto (cortinas, abajur, quadros, papeis de parede, etc.).

Algumas coisas, como mamadeiras, chupetas, esterilizador de mamadeiras, bombinha de tirar leite, inalador, dentre outros, são itens super importantes, mas podem ser adquiridos em um segundo momento, quando houver necessidade. Pode ser que seu bebê nunca precise tomar mamadeira, ou que você nunca precise tirar leite com bombinha. Se este for seu caso, ter comprado esses itens com antecedência só fará com que você tenha gastado dinheiro à toa.

Em relação à chupeta eu comprei uma. Deixei ela lá guardadinha e dei para minha filha depois de um mês de idade. Depois comprei outras.

Um item que varia muito também são as telas mosquiteiras. Aqui em casa eu não precisei, porque todas as janelas do meu apartamento possuem telas contra mosquito. Mas se onde você mora tem muito pernilongo, é interessante apostar nesse item (até para proteger a criança de doenças como dengue). Outro item que não comentei aqui são as telas de segurança para apartamentos. Esse item é FUNDAMENTAL e eu recomendo colocar antes do bebê nascer (o barulho e a sujeira são grandes).

Por fim, existe um item que seu bebê precisará mais do que todos esses listados aí em cima: que é o seu amor, o seu colo e a sua atenção. Com seu amor, seu leitinho e seu calor humano, ele terá tudo que ele precisa!

Um abraço!